Dois principais mandamentos

E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.
Mateus 22:37-40

Antes de mais nada é preciso analisar o contexto. Jesus estava em um momento do seu ministério terreno relativamente maduro. Seu nome já era conhecido e muitos vinham ter com Ele. Suas parábolas esclareciam os conhecimentos até então obscuros aos mais humildes. As parábolas facilitaram o entendimento e assimilação dos ouvintes de Cristo. Entretanto, nos versículos anteriores, é possível perceber que Seu ensino já incomodava parte dos religiosos que frequentemente o testavam para que ele caísse em contradição como por exemplo quando lhe perguntaram se era correto pagar tributo a Cesar. Não quero entrar nessa ceara, isso é papo para um outro post. Meu objetivo é expor que Jesus vinha de uma série de ensinamentos e instruções passadas ao povo antes de falar dos mandamentos mais importantes. Vamos a eles:

  • Amarás o Senhor teu Deus

Sem sombra de dúvidas, esse é um mandamento que se “sobrepõem” a qualquer outro.  A ordenança de um indivíduo amar ao seu Deus com o máximo de si é condição básica para o exercício da sua fé. Não entenda mal, todos devemos amar pessoas e sermos gratos por elas ao estarem a nossa volta. Inclusive devemos considera-las melhor do que nós (Filipenses 2:3). Contudo, devemos amar Deus por que Dele provém tudo o que recebemos. Somos extramente gratos por nossos pais, valorizamos nossos amigos, ficamos encantados com o cuidado que dispensam às nossas vidas as pessoas que amamos. Porém, o que essas pessoas fazem, na verdade, é serem instrumentos de Deus ao cuidar de nós. Não estou dizendo que elas , quando nos fazem coisas boas, não desejam fazer isso. Pelo contrário. O que quero dizer que na verdade toda boa dádiva vem do pai das luzes. Essas pessoas queridas são canais que se deixam ser usados para nos abençoar. É preciso enxergar Deus em cada gesto por que se temos alguns motivos para amar quem nos faz algumas coisas boas, temos todos os motivos para amar aquele que tudo nos Deus e vai nos levar para morar com ele.

  • … de todo o teu coração…

Coração nesse contexto não tem relação alguma com o músculo cardiáco situado em nossas caixas torácicas. Coração aponta para paixão, aponta para emoção, aponta para sentimentos. Nossas emoções devem estar nEle. Isso representa um desafio por que tendemos a amar “de todo o coração” as outras coisas dessa vida. Nossos familiares, bens e principalmente nós mesmos. Abra seu coração para o Senhor. Deixe que ele seja o centro.

  • … e de toda tua alma…

A alma tem a ver como vontade. Tem a ver com o mais profundo do seu ser. Amar a Deus de toda tua alma exige um exame diário e submissão do centro da sua alma aos desígnios dEle.

  • … e de todo teu pensamento.

Essa ficou mais fácil de compreender. Durante nossos dias somos instigados a colocar todos os nossos pensamentos nas coisas que precisamos comprar, nos afazeres a cumprir, nos trabalhos a entregar, etc etc. Deus nos convida a submetermos nossa mente a Ele. Amar a Deus de todo o pensamento requer de nós momentos de reflexão: o que estou prestes a fazer está de acordo com o que Deus quer e me ensinou através das sagradas escrituras? Esse pensamento agrada ao Senhor. Se em todo pensamento seu você reconhece a primazia de Deus antes de tomar qualquer decisão, você provavelmente está no caminho certo.

  • Este é o primeiro e grande mandamento.

Jesus ressaltou a importância de amar a Deus como algo primordial.

  • E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

De forma semelhante devemos nutrir os tipos de “amores” em relação aos nossos próximos. Repare que ele não limitou o tipo de pessoa que consideramos como próximo. Próximo não é só seu familiar, não é só seu conjuge, mas também aquele seu colega de trabalho que não é fácil de lidar, aquele vizinho que frequentemente lhe dá dor de cabeças. Amá-los requer de nós uma alta dose de esforço, mas quando você ama a Deus com sinceridade e primazia você torna-se mais capacitado para o segundo mandamento. Amar como a você mesmo não é para qualquer um, somente um Cristão verdadeiro cheio do espírito santo está habilitado a fazer isso.

  • Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.

Esse versículo fechou com “chave de ouro”. Numa época onde as pessoas estavam muito preocupados em serem legalistas e os fariseus eram os mais bem vistos. Jesus quebrou paradigmas ao submeter toda a lei e os profetas ao mandamento do amor. De igual forma, hoje, pouco proveito se tem todo conhecimento teológico se ele não vem precedido de amor incondicional por Deus e pelas vidas daqueles Ele nos confiou o cuidado. Ore e peça a Deus, ele vai lhe capacitar.